Sobre o Perdão dos Pecados

07/04/2024

Que tal crer no perdão dos pecados? É crer que Jesus Cristo deu à Sua Igreja o poder de perdoar pecados.

O que é o perdão dos pecados? É removê-los, apagá-los, aniquilá-los em termos de mácula e castigo eterno, como se nunca tivessem sido cometidos. "Ainda que os vossos pecados vos tenham tingido como escarlate, as vossas almas permanecerão brancas como a neve" (Isaías I, 18) – "Eu bani as vossas iniquidades como uma nuvem; e os vossos pecados são como os nebulosos" (Isaías XLIV, 22).

A quem pertence o poder de perdoar pecados? Esse poder pertence somente a Deus, porque pertence apenas ao ofendido perdoar a ofensa; da mesma forma que cabe apenas ao credor dar ao devedor livre da dívida. "Eu mesmo apago as vossas iniquidades por amor de mim" (Isaías XLIII, 25).

Nosso Senhor Jesus Cristo não tem o poder de perdoar pecados? Sim, Jesus Cristo tem este poder: 1. Como Deus, porque Ele é igual ao Pai. "Tudo o que o Pai faz, o Filho faz o mesmo" (João V, 19) – "Todas as tuas coisas são minhas" (João XVII, 10). 2. Como homem, porque recebeu este poder do Pai. "Para que saibais que o Filho do Homem tem poder na terra para perdoar pecados, levantai-vos", disse ele ao paralítico, "tomai o vosso leito e voltai para casa" (Mt., IX, 6). 3. Como Salvador, porque adquiriu esse poder à custa do seu sangue. "Eis o Cordeiro de Deus... eis aquele que tira os pecados do mundo" (João I, 29).

Jesus Cristo exerceu esse poder na Terra? Ele a exerceu em várias circunstâncias, especialmente quando disse ao paralítico: "Com confiança, meu filho, que os teus pecados te são perdoados" (Mt., IX, 2); e Maria Madalena: "Perdoai-lhes os vossos pecados... A vossa fé vos salvou: ide em paz" (Lucas VII, 48, 50).

A quem Jesus Cristo comunicou o poder de perdoar pecados? Aos Apóstolos. No mesmo dia da ressurreição, deu-lhes o poder de ressuscitar almas enterradas no pecado, quando lhes disse: "A paz esteja convosco. Assim como meu Pai me enviou, assim eu vos envio". Tendo dito estas palavras, encorajou-lhes, ou dirigiu-lhes, o seu fôlego; E disse-lhes: "Recebei o Espírito Santo. Aos que perdoais são perdoados os seus pecados, e aos que conservais são retidos" (João XX, 21, 22, 23).

Por que lhes disse: "Recebei o Espírito Santo"? Pois, como o pecador é justificado pela graça do Espírito Santo, era necessário que os Apóstolos primeiro o recebessem e depois o comunicassem àqueles que pediam a remissão de seus pecados. Em virtude dessa graça de justificação, não só os pecados são imputados ao pecador, mas são tirados da alma, que, sendo assim purificada, torna-se amiga de Deus e templo do Espírito Santo.

Jesus Cristo não deu mais do que os apóstolos o poder de perdoar pecados? Ele também o deu neles à sua Igreja, para que haja sempre um ministério de reconciliação entre os homens (II Coríntios, V, 18).

É de fé que a Igreja tem o poder de perdoar pecados? É uma verdade da fé católica definida pelo Concílio de Trento: "Se alguém fingir", diz o concílio, "que estas palavras do Salvador, 'recebam o Espírito Santo; os pecados são perdoados àqueles a quem perdoais; e os que os retêm são retidos", não se deve entender o poder de perdoar e conservar os pecados no sacramento da Penitência, como a Igreja sempre o entendeu desde o princípio: seja anátema" (Concílio de Trento, Sess. XIV, cap. III).

Quem na Igreja tem o poder de perdoar pecados? O Papa, sucessor de São Pedro; bispos, sucessores dos apóstolos e sacerdotes aprovados pelos bispos.

Extensão do Poder de Perdoar Pecados

Até onde a Igreja tem o poder de perdoar pecados? Não tem limites: é absoluto, isto é, sem reserva ou restrição; e universal, isto é, alcança todos os pecados sem exceção, por mais numerosos e enormes que sejam. "Tudo o que desligardes na terra será desligado no céu" (Mt., XVIII, 18) – "Não vos digo que perdoeis até sete vezes, mas setenta vezes sete, ou quantos vos ofenderdes" (Mt., XVIII, 22).

Pois o próprio Jesus Cristo não diz que há pecados que não são perdoáveis? Verdade: Nosso Senhor Jesus Cristo declarou que a blasfêmia contra o Espírito Santo é imperdoável, e que tal pecado de que fala esta passagem do Evangelho (Mt. xii, 31) consiste, como se pode deduzir de seu contexto, em atribuir maliciosamente ao diabo os milagres do Salvador. Mas isso é por causa das más disposições do pecador, que resiste obstinadamente à graça, e não porque tal pecado é absolutamente imperdoável, pois se o blasfemador se arrependesse humildemente, a Igreja poderia perdoá-lo como perdoa a todos os outros.

Deus cria condições para o perdão dos pecados? Sim, como dono de seus dons, ele não concede a remissão dos pecados a não ser nas condições determinadas por sua sabedoria, e recusa o perdão àqueles que não estão devidamente dispostos.

Quem é responsável por julgar essas disposições? Aos ministros da Igreja, a quem Jesus Cristo deu o poder de reter e perdoar pecados. "Os pecados são retidos daqueles que os conservam."

Essas disposições concedem ao pecador o direito ao perdão? De modo algum: pois, embora sejam uma condição necessária que Deus exige, a remissão é um dom meramente gratuito da misericórdia de Deus, que perdoa pelos méritos de Jesus Cristo "por cujo sangue obtemos a redenção e o perdão dos pecados pelas riquezas da sua graça" (Ef., I, 7).

Como a Igreja Perdoa os Pecados e o Castigo Temporal

Como a Igreja perdoa pecados? Normalmente, ele os perdoa através dos sacramentos do Batismo e da Penitência; excepcionalmente, para Extrema Unção; e indiretamente, pelos demais sacramentos, segundo a opinião mais comum e provável.

Quais são os pecados que são necessários para ser submetido ao poder das chaves? Todos os pecados mortais, mesmo aqueles que foram apagados pela contrição.

Existe a mesma obrigação em relação aos pecados veniais? Não, porque podem ser perdoados por outros meios.

Que pena a Igreja sempre perdoa ao absolver o pecador? O castigo eterno merecia pelo pecado mortal.

A Igreja também pode perdoar o castigo temporal devido pelo pecado? Sim, ele tem o poder de perdoá-la no todo ou em parte, o que ele faz por penitência sacramental ou por indulgências.

Qual é a base do poder de conceder indulgências? Nestas palavras de Jesus Cristo: "Tudo o que desligardes na terra será desligado no céu".

RESUMO

Do perdão dos pecados. Perdoar pecados é remiti-los, aniquilá-los em termos de mácula e castigo eterno como se nunca tivessem sido cometidos. O poder de perdoar pecados pertence somente a Deus. Nosso Senhor Jesus Cristo tem este poder: 1. como Deus, porque Ele é igual a Seu Pai; 2. como homem, porque o recebeu de seu Pai; 3. como Salvador, porque o adquiriu à custa do seu sangue. Jesus Cristo comunicou este poder aos seus apóstolos, e neles à Igreja, para que haja sempre um ministério de reconciliação entre os homens.

Ampliação do poder da Igreja. O poder da Igreja de perdoar os pecados não conhece limites: é absoluto e universal. Nosso Senhor Jesus Cristo declarou que a blasfêmia contra o Espírito Santo é imperdoável; mas isso depende das más disposições de quem o comete; e a Igreja poderia perdoá-lo se o blasfemador se arrependesse.

Como a Igreja perdoa os pecados.—Normalmente, pelos sacramentos do Batismo e da Penitência; excepcionalmente, pela da Extrema Unção. Ao absolver o pecador, a Igreja perdoa sempre as penas eternas. Além disso, ele pode perdoar, no todo ou em parte, o castigo temporal devido pelo pecado, como de fato ele o perdoa por penitência sacramental e indulgências. (Fonte: El Español Digital)


Santa Rita nasceu em 1381 ao lado de Cássia, na bela Úmbria, terra de santos: Bento, Escolástica, Francisco de Assis, Clara, Ângela, Gabriel... Santa Rita pertence àquele ilustre grupo de mulheres que passaram por todos os estados: casadas, viúvas e religiosas.

Sodomia significa a prática de relações sexuais de qualquer tipo entre pessoas do mesmo sexo, sejam homens ou mulheres.

Certo dia Nosso Senhor Jesus Cristo estava pregando, quando Lhe trouxeram alguns meninos para que Lhes abençoassem. Os Apóstolos tentaram afastá-los, mas o Divino Mestre lhes disse: "Deixai vir a mim estas criancinhas e não as impeçais, porque o Reino dos céus é para aqueles que se lhes assemelham" (Mt 19, 14). E acrescentou: "Se não vos...

O oficialismo progressista instalado em Roma há mais de uma década continua sua política de "cancelar" aqueles que, com liberdade de espírito, fingem servir a Jesus Cristo a partir da Ortodoxia e da Tradição. O que se entende por "cancelar" são todas as formas de ignorar, conspirar para silenciar, marginalizar, proibir a publicação nos meios de...

O livro do Cardeal Víctor Manuel Fernández, Paixão Mística, Sensualidade e Espiritualidade, provavelmente teria sido colocado no Índice pela Congregação que hoje preside e sua leitura teria sido proibida aos católicos