Se um anjo descesse do céu

26/02/2024

"Livrai-me, Senhor, da armadilha que me foi lançada, das ciladas dos que praticam o mal" (Sl. 141:9

Por Padre Juan Manuel Rodríguez de la Rosa  

"Se um anjo descer do céu", diz São Paulo, "e vos pregar um evangelho diferente daquele que vos pregamos, seja amaldiçoado!" (Gl. 1:8). E acrescentamos que, se um anjo descesse do céu e procedesse de acordo com tudo o que o Evangelho condena, faríamos bem em nos precaver contra ele; Deus nos livre de segui-lo. Não conhecemos outro mestre e modelo senão o único Mestre, Nosso Senhor Jesus Cristo.

Maus exemplos nunca podem justificar nossas ações. É por esta razão que o Senhor não nos colocou homens como modelos. Ele disse-nos: «Sede perfeitos como é perfeito o vosso Pai celeste» (Mt 5, 48). Nem mesmo dos mestres que nos ensinam nos ordenou que imitássemos o seu exemplo, mas advertiu-nos expressamente o contrário: «Fazei e fazei tudo o que vos disserem, mas não façais o que fazem» (Mt 23, 3).

Chegará o dia em que muitos quererão desculpar-se diante de Deus por seus erros e pecados com os erros e pecados dos outros. Que confusão e arrependimento isso causará para muitos! Nunca podemos nos desculpar diante de Deus por nossas próprias faltas pelo exemplo das falhas dos outros.

Se aqueles que têm as mesmas obrigações que eu não o fizerem, não tenho o direito de falhar na minha sem incorrer em uma condenação. Não me é lícito imitar aqueles que me dão mau exemplo.

O pecado é sempre pecado. O que não é permitido pelo Magistério da Igreja Católica, pela fé recebida, pela Palavra de Deus, mesmo quando aqueles que têm de dar o exemplo na firmeza da fé não o fazem, ainda é pecado.

Há algum mérito, talvez, que aquele que contradiz a Verdade de Deus seja um bispo ou um cardeal? Só o mérito do escândalo. Podemos nos desculpar diante do tribunal de Deus dizendo que seguimos este ou aquele bispo ou cardeal quando quebramos a Lei Divina? Não nos dirá o Senhor: conhecestes a Verdade da Minha Palavra contida na Tradição, no depósito da fé? Por que seguiu os maus exemplos? Uma sombra escura paira sobre a Igreja que levará muitos à mais terrível confusão moral.

"Chegará um tempo em que eles não suportarão a sã doutrina, mas se cercarão de mestres à medida de suas paixões para lisonjear seus ouvidos. Eles fecharão os ouvidos para a verdade e se voltarão para os mitos. Mas sede sóbrios em todas as coisas, sede fortes no sofrimento, esforçai-vos para espalhar o evangelho, cumpri perfeitamente o vosso ministério" (2 Tm 4.3-5).

Estamos no tempo em que os pastores, traindo a sã doutrina, cedem às paixões do mundo, manchando com elas a Verdade de Deus com o único propósito de agradar ao mundo, de se insinuar com ele, porque perderam o temor de Deus e são tomados pelo temor do mundo. Esses falsos pastores perderam totalmente a verdadeira liberdade, tornaram-se escravos de suas fraquezas, amordaçaram a Verdade de Deus para falar a "verdade" do mundo. Eles rejeitaram a porta estreita da santidade para a porta estreita dos prazeres do mundo. Eles vendem o Senhor novamente por algumas moedas.

"Entre os principais ofícios dos bispos está a pregação do Evangelho [...] são herdeiros da autoridade de Cristo, que pregam ao povo que lhes foi confiada a fé a crer e aplicar à vida, para ilustrá-la com a luz do Espírito Santo, extraindo do tesouro da revelação as coisas novas e as coisas antigas, tornando-a fecunda, e com vigilância afastam o rebanho dos erros que o ameaçam" (2 Tim. 4, 1-4). Lumen Gentium, 25.

Ao trair conscientemente a Verdade de Deus, eles ficam apenas com a tremenda expectativa de julgamento e a queima do fogo que devorará os rebeldes (Hb. 10:26-27).

Nunca prescreve a quebra da Lei de Deus. Você não pode mudar o que o Senhor já sentenciou.

Livrai-nos, ó nosso Deus, dos maus exemplos daqueles que já não são vossos pastores. Dai-nos força para não segui-los e firmeza inabalável para permanecermos na vossa Verdade, que é a Verdade da Igreja que recebemos da tradição. (Fonte: El Español Digital)

Sua extraordinária vida comprova que a heroicidade na prática da virtude pode chegar a suprir a ciência humana. Isso explica o aparente paradoxo de sua biografia, mostrando como a alta sabedoria de um taumaturgo analfabeto o tornou conselheiro de Papas e Reis. Sua festa litúrgica é celebrada no dia 2 de abril.