Savannah Dudzik, a jovem de joelhos, conta o que aconteceu na JMJ com o Santíssimo Sacramento em "tupperware" de plástico

12/08/2023

Infelizmente, a par de belos momentos da JMJ em Lisboa, um dos episódios que se tornou viral foi a pouca reverência com que o Santíssimo Sacramento foi reservado. Savannah Dudzik é uma das meninas da fotografia e dá um belo testemunho do que aconteceu ali, mal para os organizadores, que nem sequer responderam, ou para muitos jovens que repararam e adoraram o Senhor.

(kath.net/InfoCatólica) Uma das fotos que correu o mundo na JMJ em Lisboa foi a de três jovens a rezar diante do Santíssimo Sacramento, infelizmente amontoados em enormes tupperwares de plástico. Presumivelmente, eles estavam em preparação para a celebração eucarística de domingo e marcados apenas por uma pequena luz pouco visível e armazenamento separado em uma toalha de mesa. Aparentemente, também não havia placa em frente à tenda para funcionar como capela.

Uma das retratadas foi Savannah Dudzik, que mais tarde escreveu:

"Dei aos bispos, aos organizadores da Jornada Mundial da Juventude e a alguns secretários episcopais mais de um dia para responder. Não recebi nenhuma resposta, por isso decidi torná-la mais pública. Se você ouviu uma explicação melhor sobre o que aconteceu, por favor, me avise!"

Savannah participou da JMJ em Lisboa com alguns amigos da Flórida. Em resposta a uma pergunta de kath.net sobre os acontecimentos em torno dessas caixas de plástico, Dudzik ofereceu uma declaração que foi publicada em outro lugar. A jovem católica é uma ativista pró-vida ativa e acabou de se formar como professora de inglês como língua estrangeira, ela não sabia que eles tiraram aquela foto e ela se tornaria viral.

Declaração de Savannah Dudzik:

A menina ajoelhada no vestido branco? Eu sou assim. Atualmente, há tantas opiniões, teorias e acusações em torno da Jornada Mundial da Juventude que quero dar minha própria contribuição sobre isso, porque estive lá e testemunhei pessoalmente este incidente que agora está se tornando viral.

O que aconteceu?
Na tarde de sábado, o louvor e a adoração aconteceram no Campo da Graça para a Jornada Mundial da Juventude. Meus amigos e eu estávamos voltando dessa celebração quando vimos algumas grandes caixas cinzas em uma mesa.

Ao redor deles, talvez duas ou três pessoas estivessem orando e, honestamente: eu estava confuso. Eu não sabia para quem eles estavam orando e meu amigo também não.

Fui até uma das senhoras e ela disse: "Jesus. Jesus está lá". (Referindo-se às caixas cinzas.)

Naquele momento eu estava com raiva: como você ousa desrespeitar nosso Senhor? O que você acha que está fazendo [aqui]? Coloque em uma caixa com quase zero respeito e as pessoas passam e não sabem que está lá!
Quando voltamos para o nosso acampamento, fiquei totalmente irritado. Mas no decorrer da nossa conversa, meus amigos e eu decidimos que precisávamos fazer algo a respeito, em vez de ficar com raiva sem sentido.
Não íamos protestar ou postar nas redes sociais que era um escândalo (acho que há um momento e um lugar certos para isso). Não íamos fofocar sobre isso com os outros. Em vez disso, pegaríamos nossos rosários, voltaríamos a Jesus e rezaríamos ali um terço em reparação pelos pecados contra Seu Sagrado Coração. E foi o que fizemos.

A Jornada Mundial da Juventude teve muitas coisas boas. Vou fazer um post separado com todas as minhas reflexões, venho postando coisas boas durante todo o final de semana. Acho importante abordar isso, mas primeiro você tem que orar.

Depois de termos orado – como fizemos – podemos abordar a atrocidade:

Na minha humilde opinião, é uma vergonha absoluta colocar a Eucaristia para adoração em um vaso tão indigno. Além disso, é uma pena incrível que muitos dos jovens nem soubessem que este era o seu Jesus – que veio, sofreu e morreu por eles – para que se prostrassem diante dEle em adoração!

Quando Jesus é adorado – um incrível privilégio e honra concedida por nosso Senhor – deve estar sempre em um tabernáculo ou exposto em um ostensório.

Falei com vários padres sobre este caso e todos concordam comigo. Um deles até me disse que nas massas de dezenas de milhares de pessoas na Praça de São Pedro são usados enormes cibórios dourados para abrigar Jesus.

Além disso, o fato de 70% dos católicos sequer acreditarem na Presença Real torna este caso ainda mais triste. Como devemos nós – os jovens – acreditar que Jesus está realmente aqui quando Ele nos é apresentado assim?

Amo a nossa fé católica, amo o nosso Magistério, mas quero ouvir alguma coisa – quero ouvir uma declaração deles. Bispos e sacerdotes, dizei-nos, jovens do mundo inteiro:

Por que ele se mostrou assim a Jesus?
*Disclaimer: Dei vários dias aos bispos, organizadores da JMJ e alguns secretários episcopais para responder. Não recebi nenhuma resposta, então decidi torná-la mais pública. Se você ouviu uma explicação melhor do que aconteceu, me avise!

Falta de explicações e reações estranhas

Esperemos que a Organização da JMJ dê algum tipo de explicação, e os bispos que têm sido tão loquazes a comentar outros incidentes também. Savannah não só os pediu gentilmente e sem fazer alarde.

O exemplo de Savannah de primeiro reparar e depois perguntar em particular é digno de nota positivamente. Por outro lado, é muito lamentável que de muitos clérigos que nas redes sociais tenham minimizado o assunto, inventado desculpas e se dedicado a insultar e atribuir más intenções a quem se sentiu magoado com os factos.

Estas tentativas de encobrir abusos, neste caso à Eucaristia, são aquelas que no passado levaram a um terrível terreno fértil para encobrir outros abusos e que muitos fiéis acreditavam ter sido superados. (Fonte InfoCatolica

1-Já pratiquei superstição ou ocultismo? Acredito sem hesitação nos ensinamentos da Igreja sem criticar seus pastores? Recebi a Comunhão em pecado mortal? Recebi a Confirmação ou o Casamento em pecado mortal? Jurei desnecessariamente ou falsamente? Eu menti ou omiti algum pecado mortal do sacerdote na Confissão? Profanei o Templo, os objetos ou as...

Desde o Concílio Vaticano II, a religiosidade popular tem sido promovida e até exaltada como expressão legítima da fé nos leigos. E é claro que não se pode, nem se deve, negar ou fazer uma alteração total de tal realidade e efeitos espirituais positivos para as almas; almas que, talvez por esse meio, tenham sido integradas à vida sacramental...