Cerca de 106 mil alemães foram mortos em 2023 no útero

27/04/2024

No ano passado, o número de abortos na Alemanha atingiu seu nível mais alto desde 2012.

De acordo com esses dados horríveis, 42% das mulheres que abortaram não haviam dado à luz antes do aborto. Políticas de aniquilação da vida, como o aborto e a eutanásia, continuam a aumentar em toda a Europa. Os países europeus continuam com o seu inverno demográfico particular e, em vez de inverterem a situação com políticas em defesa da natalidade e que defendem a vida, dedicam-se a matar os seus compatriotas, impedindo-os de nascer. O assassinato mais cruel e desumano que o homem pode imaginar e que a sociedade aceitou como um suposto direito: o direito de poder matar seu próprio filho se ele for um incômodo.

No ano passado, 106 mil abortos foram registrados na Alemanha. Isso representa cerca de 2,2% a mais de casos notificados do que no ano anterior, quando os números mostravam cerca de 104 mil abortos. Este é o valor mais alto desde 2012, quando houve 107.000 abortos na Alemanha, anunciou o Escritório Federal de Estatísticas (Destatis) do país nesta quarta-feira. Em 2022, já houve um aumento de 9,9% em relação a 2021, quando cerca de 95 mil bebês foram mortos.

De acordo com dados fornecidos pela Alemanha, sete em cada dez mulheres que fizeram abortos em 2023 tinham entre 18 e 34 anos; 19% tinham entre 35 e 39 anos; 8% das mulheres tinham 40 anos ou mais e 3% tinham menos de 18 anos.

96% dos abortos registrados na Alemanha em 2023 foram realizados de acordo com o chamado regulamento consultivo. Indicações médicas ou estupro foram o motivo em 4% dos casos. A maioria dos abortos (48%) foi realizada pelo método de sucção (aspiração a vácuo) e 38% utilizaram a droga Mifegyne. (Fonte: InfoVaticana)

Lutero talvez seja o principal motor da destruição do cristianismo no Ocidente. Mas obedeçamos a Cristo, que nos ordenou: «Não julgueis» (Mt 7, 1). Sua psicopatologia era tão grave que não é possível discernir em sua vida o que pode vir dela ou de um orgulho indizível assistido pelo Diabo. Ou ambos.

Com o título A Páscoa das Três Encíclicas, propomos recordar três importantes documentos promulgados por Pio XI no espaço de poucos dias, em março de 1937. Três encíclicas que foram dirigidas a todos os católicos do mundo e que ainda estão vivas hoje.