Alguém duvida que estamos no fim dos tempos?

23/01/2024

Paulo para Gálatas 1:8: "Se eu mesmo ou mesmo um anjo do céu vos pregar um evangelho diferente, seja-me amaldiçoado".

Por J. Mª Manrique 

Pessoalmente, acredito que estamos imersos no Fim dos Tempos. É claro que minha opinião é de pouca importância, dada a minha má formação e desempenho religioso deficiente. Mas, apesar disso, acredito que a situação é tão dramáticamente extrema que devo expor minhas ideias em voz alta e, entre outras coisas, me colocar diante da obrigação de tomar decisões que me obriguem. E se minhas reflexões, além disso, podem ajudar alguém de alguma forma, bendito seja Deus!

Baseio-me no fato de que "os cristãos seculares obtêm o direito e a obrigação do apostolado por sua união com Cristo Cabeça" (Conc. IVA. II, dez. Apostolicam actuositatem, n. 3), nas obras espirituais de misericórdia (2ª e 3ª; Catecismo 1435, 1829 e 2447), no Antigo Testamento (Levítico 19:1-2, 11-18) e no Novo (Mateus 18:15-20).

Os Sinais do Fim dos Tempos (não o Fim do Mundo) e a Grande Tribulação

Para não alongar a exposição, resumirei apenas os sinais que Nª Sª comunicou ao P. Gobbi (31 de dezembro de 1992) e 31 de dezembro de 1987):

  • A propagação de erros e apostasia.
  • Guerras e lutas fratricidas (Saara, Ucrânia, Gaza/Leste, etc.), bem como frequentes desastres naturais.
  • Perseguição sangrenta (DESA, Nigéria, etc).
  • O "Horrível Sacrilégio" do Anticristo e Sua Corte
  • Fenômenos extraordinários no firmamento do céu.

Podemos deduzir claramente que já estamos imersos neles, embora "O Filho da Perdição" ainda não tenha se manifestado (Santa Hildegarda, Doutor da Igreja). Obviamente, a propagação pública e galopante de erros já está sendo confirmada, com a consequente apostasia de grandes massas que antes eram cristãs. Como exemplo, vejamos um breve relato das ações mais recentes da Cúria Romana.

Fiducia Suplicans ("Confiança Suplicante")

Cingir-se apenas aos rumos da Igreja desde a renúncia singular, quase incompreensível e inexplicável de Bento XVI, e a eleição em 2013 do cardeal Jorge Mario Bergoglio em um conclave cercado de graves acontecimentos (testemunho do cardeal Dannels [i] e suposta violação da sala papal), o "ponto de não retorno" poderia muito bem ser colocado no documento publicado pelo Dicastério para a Doutrina da Fé (DDF) em 18 de dezembro. Ela própria, com o aval papal, praticamente impõe aos padres a obrigação (ao mesmo tempo) de abençoar casais homossexuais (o que os católicos já fizeram). Bispos flamengos em 2021) ou que vivem em concubinato (o que já é contemplado nas letras miúdas de "Amoris Laetitia"); sempre se referindo a casais, não a indivíduos. Essa aberração (lembremo-nos das palavras de Jesus sobre Sodoma (Mateus 10) e adultério (Mateus 19), mesmo que queiram disfarçar que "o pecado não é abençoado", fez com que, em meados de janeiro, praticamente todos os bispos da África se recusassem a fazê-lo (777 de 781, exceto os de Benim, Rabat, Argel e Trípoli), bem como, de acordo com a Wikipédia em inglês, cerca de trinta cardeais (15% do total de 5.340 bispos), quarenta conferências episcopais e seis congregações e associações.

E "A Alegria do Amor"

Da citada exortação sinodal Amoris Laetitia (2016) dizia-se que seu autor nas sombras foi o bispo argentino Víctor Manuel Trucho Fernández, que escreveu em 2005 e 2006 dois artigos com conteúdo que se repetem no Motu papal, e que é o promotor da Fiducia Suplicans (além do livro pornográfico A Paixão Mística, em 1988) de sua posição como Prefeito da Doutrina da Fé (não menos!). Bem, no site do Vaticano está publicado em espanhol, assim como a carta dos bispos argentinos com Sua Interpretação, e a do Papa aprovando o mesmo; Portanto, há pouco espaço para erro que seja aprovado que "... Amoris Laetitia ... no capítulo VIII, uma vez que se refere às "diretrizes do Bispo" (n. 300) para discernir o possível acesso aos sacramentos de alguns "divorciados em nova união"... abre a possibilidade de acesso aos sacramentos da Reconciliação e da Eucaristia (cf. notas 336 e 351)". Amoris é certamente mais letal do que Fiducia, embora menos descarada.

A propósito, Santa Hildegarda escreveu que o Anticristo emboscaria suas doutrinas no desejo sexual; afirmará que a impureza e crimes semelhantes não são pecados, e afirmará que todos os preceitos que prescrevem a castidade derivam da ignorância; E continuará repetindo aos fiéis: "A vossa lei de continência é contra a natureza, porque ela ordena aos que queimam pelo fogo que não sejam quentes, pondo assim fogo em todo o corpo. Como você poderia ser frio contra a natureza? E por que você deveria se abster de aquecer a carne do outro? Aquele homem a quem você chama de seu mestre lhe deu uma lei que está muito acima de você, ordenando-lhe que viva assim."www.religionenlibertad, 9 de janeiro de 2013, Sánchez de Toca).

Et alii

Mas é preciso ter em mente, em uma lista rápida, pelo menos os seguintes extremos produzidos desde 2013. Infelizmente, existem Muitas compilações, mais ou menos séria e afortunada, com atuações dramáticas. Vejamos algumas delas e desculpemos a incompletude e a desordem de sua exposição por causa do número e da variedade delas.

– Em 4 de outubro de 2019 foi realizada Ritual Indígena à Pacha Mama (símile da "Mãe Terra") no Vaticano na presença do Papa durante o Sínodo sobre a Amazônia. Outros__________ Aberrações semelhantes elas ocorreram dentro e ao redor do Vaticano, mostrando que tudo está conectado, como ensina a encíclica ambientalista Laudato Si' (2015). Sem esquecer que Francisco exortou as Nações Unidas a tornar o monarquia maçônico "Agenda 2030 para que o Desenvolvimento Sustentável" seja efetivo (25-IX-2015).

O fechamento de igrejas e a possibilidade de acesso aos sacramentos (comunhão, confissão, extrema unção, celebrações religiosas, celebração pascal, etc.) na Semana Santa e na Páscoa de 2020 ("covid"), pela primeira vez na história. Além da imposição de "vacinas" ilegais e perniciosas, descritas como "Ato de Amor" pelo pontífice.

– Homilia de Bergoglio em Santa Marta, 20 de dezembro de 2013"O Evangelho não nos diz nada se ela disse ou não uma palavra aos pés da Cruz. E talvez ele quisesse dizer: "Isso é mentira! Fui enganado!'" Em 21 de dezembro de 2018, Bergoglio atacou o Dogma da Imaculada Conceição, dizendo que a Virgem Maria Papai Noel não nasceu. Em 24 de março de 2021, o Papa Francisco voltou a declarar que Maria NÃO é uma corredentora, palavras já ditas dezembro de 2019 (e AQUI).

– Em outubro de 2016, o Papa Francisco entronizou o estátua de Lutero no Vaticano. Documento "Do Conflito à Comunhão – Comemoração conjunta luterano-católica da Reforma em 2017". Concordou-se em suprimir o conceito de terminologia "transubstanciação" (nº 154), com o perigo que acarreta. Lutero é chamado de "testemunha do Evangelho" (n. 29).

– Em 2021, Francisco revogou o Motu Proprio Summorun Pontificum de B.XVI, restringindo estritamente o direito de padres e fiéis celebrarem a missa em latim (Missal Romano de 1962). Antes, desde 2014, restringia seu uso aos franciscanos da Imaculada Conceição (STIM) e fechava seu instituto teológico interno, entre outras perseguições ao rito tradicional e a membros dessas correntes.

– Em agosto de 2018, Bergoglio eliminou o ponto 2267 do Catecismo, declarando a absoluta ilegalidade da pena de morte (Fratelli Tutti).

Em agosto de 2018, o arcebispo Viganò denunciou Bergoglio por acobertar o cardeal McKarrick em múltiplos atos de homossexualidade até mesmo em seminários. Em outubro daquele ano, o Agenda LGBT na Igreja durante o Sínodo da Juventude.

– Em fevereiro de 2019, o Papa Francisco assinou um documento presumivelmente herético nos Emirados Árabes Unidos, afirmando, entre outras coisas, que "Deus quer uma pluralidade de religiões".

– Em relação ao inferno, em 2018 ele disse que "não há inferno em que as almas dos pecadores sofram por toda a eternidade (...) aqueles que não se arrependem (de seus pecados) e, portanto, não podem ser perdoados, Desaparecer"; E em 2024 "gosta de pensar que o inferno Está vazio".

Sobre o aborto, Francisco criticou os religiosos por estarem "o tempo todo". Falando sobre aborto, gays e preservativos". Ele também estendeu a qualquer sacerdote a possibilidade de Perdoar o aborto, uma faculdade anteriormente detida apenas pelo bispo diocesano. Outro indício singular é que ele desacelerou o Excomunhão de Biden, supostamente um católico abortista, que as hierarquias eclesiásticas americanas reivindicavam. E é significativo que ele seja a favor da Agenda 2030 abortista-eugenista. Em agosto de 2022, o presidente da Pontifícia Academia para a Vida, monsenhor Vincenzo Paglia, referiu-se na televisão à infame Lei 194 que legaliza o aborto como "um pilar de nossa vida social" na Itália.

– Em fevereiro de 2016, o Cardeal Gianfranco Ravasi, Presidente da Pontifício Colégio para a Culturaescreveu no diário Il Sole 24 MinérioUma carta aberta aos "irmãos maçons" em que pede para ultrapassar "aquela atitude de certos círculos fundamentalistas católicos que recorreram à arma da acusação categórica de pertença à maçonaria", falando em construir "pontes e não muros".

Sobre o comunismo e a teologia da libertação, Bergoglio, além de aceitar o "Crucifixo ComunistaDado a ele por Evo Morales em 2015, reabilitou o marxista excomungado Leonardo Boff, beatificou monsenhor Enrique Angelelli ("padre guerrilheiro") e fez admiração pública por Lula da Silva, o principal reativador do Foro de São Paulo. E o que dizer do Pacto com a China comunista e o abandono da Igreja perseguida naquele país?

– Por fim, em relação à Espanha, além de dizer em 2019, em viagem ao Marrocos, que iria "para a Espanha". Quando há paz" (sic), sempre demonstrou sua animosidade em relação a ela. Seja facilitando a profanação do Vale dos Caídos (basílica pontifícia) e do túmulo de Franco (Cavaleiro da Ordem de Cristo), seja condenando o "Doutrina da Descoberta", e a cristianização da América de passagem. E, no âmbito da sua promoção de movimentos migratórios ilegais e descontrolados (Pacto pelas Migrações, etc.), concedeu a Évole a famosa e ultrajante entrevista "Concertina" da fronteira de Ceuta, quando ele nunca mencionou as minas do Muro do Saara de Marrocos ou os delicados muros de Israel na Cisjordânia e Gaza.

Segundo São Tomás de Aquino, os católicos, quando percebem que há um perigo iminente para a fé, têm o direito e até a obrigação de criticar publicamente seus superiores. Ensinamento baseado no incidente entre São Paulo e São Pedro na Carta aos Gálatas, e presente no Código de Direito Canônico, artigo 212/3. O próprio Francisco disse certa vez: não é pecado criticar o Papa.

Como escreveu magistralmente o Pai, Rodrigo Menéndez Piñar: Ubi Petrus, non ubi Fulanus (, onde Fulano seria o papa reinante), ibi Ecclesia. Se Fulano se afasta de Pedro, então, Ubi Petrus, non ubi Fulanus, Ibi Ecclesia.

Maranatha! Vem, Senhor Jesus!

"Mas o Filho do Homem, quando voltar, encontrará fé na terra?" (Lucas 18:8; Bíblia por Dom Straubingen).

[i] Na apresentação de sua biografia autorizada, o arcebispo emérito de Bruxelas, cardeal Godfried Dannels, reconheceu que ele e outros cardeais, unidos pelo desejo de "modernizar" a Igreja, formaram uma "máfia", em suas palavras, para impedir a eleição de Bento XVI e se opor a ele uma vez eleito. Os membros dessa "máfia", que também foi chamada de Grupo Saint-Gall/Sankt Gallen em homenagem à abadia suíça onde realizava suas reuniões, eram, além de Dannels, o cardeal arcebispo de Milão, Carlo Mario Martini (que morreu em 2012) e seu compatriota Achille Silvestrini, os cardeais alemães Walter Kasper e Karl Lehman, o britânico Basil Hume (morto em 1999) e o bispo holandês Adriaan Van Luyn. As maquinações e acordos entre os cardeais para eleger um papa são proibidos pela constituição apostólica "Universi Dominici Gregis", promulgada em 1996, e cujo artigo 79 diz o seguinte: "Confirmando também as prescrições de meus predecessores, proíbo qualquer pessoa, mesmo que tenha a dignidade de cardeal, durante a vida do Pontífice, e sem tê-lo consultado, de fazer pactos sobre a eleição de seu sucessor, prometer votos ou tomar decisões a esse respeito em reuniões privadas". No artigo 81, tais compromissos são puníveis com excomunhão Latae sententiae. Dannels fez campanha para Bergoglio em 2013, um sínodo do qual Khasper e Lehmann também participaram. https://es.wikipedia.org/wiki/Grupo_de_San_Galo e Dom Viganò. (Fonte: El Español Digital)

1-Já pratiquei superstição ou ocultismo? Acredito sem hesitação nos ensinamentos da Igreja sem criticar seus pastores? Recebi a Comunhão em pecado mortal? Recebi a Confirmação ou o Casamento em pecado mortal? Jurei desnecessariamente ou falsamente? Eu menti ou omiti algum pecado mortal do sacerdote na Confissão? Profanei o Templo, os objetos ou as...

Desde o Concílio Vaticano II, a religiosidade popular tem sido promovida e até exaltada como expressão legítima da fé nos leigos. E é claro que não se pode, nem se deve, negar ou fazer uma alteração total de tal realidade e efeitos espirituais positivos para as almas; almas que, talvez por esse meio, tenham sido integradas à vida sacramental...