Somos todos filhos de Deus?

03/06/2024

Queridos irmãos e irmãs, ouvimos com toda a normalidade a frase de que somos todos filhos de Deus. Ninguém duvida, porque é assim: somos todos filhos de Deus. Mas será que a frase é realmente correta? Se sua redação estivesse incompleta, seria correto dizê-la?

Por P. Juan Manuel Rodríguez de la Rosa 

Dizer: somos todos filhos de Deus é uma frase incompleta, que para ser completamente correta e verdadeira é necessário completá-la: somos todos filhos de Deus, Um e Trino. Agora é exato. Mas e agora? Que haverá muitos que não se considerarão filhos de Deus.

Queridos irmãos e irmãs, somos todos criação de Deus, o homem é obra das mãos de Deus, mas nem todos são família de Deus, Uno e Trino.

Não há Deus senão a Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, Três Pessoas distintas e um Deus verdadeiro. Quem conhece o Filho conhece o Pai e o Espírito Santo. Quem conhece o Pai conhece o Filho e o Espírito Santo. Quem conhece o Espírito Santo conhece o Pai e o Filho. Uma Vontade, uma Vontade, uma Ação.

A Santíssima Trindade, criadora de toda a criação, continua a manter a Criação preservando-a, caso contrário voltaríamos ao nada. Deus, o Criador, continua a trabalhar incansavelmente e, ao mesmo tempo, é descanso eterno. Ele queria carregar o cansaço do mundo em repouso. Ele queria tomar sobre Si os pecados do mundo para transformá-los em virtudes. Ele queria tomar sobre Si todos os castigos dos pecados para transformá-los em recompensas.

Deus é o conversor, aquele que tudo converte, para que todos se convertam. Para que todos reconheçam o verdadeiro e único Deus: a Santíssima Trindade. Para que todos digam: somos filhos de Deus.

E vamos um passo além, somos todos filhos de Deus, Uno e Trino e de nossa Santíssima Mãe a Virgem Maria, Mãe de Deus. Se grande foi a obra da Criação, maior ainda foi a união hipostática do Verbo, encarnado no ventre imaculado do Universo. Virgem Santíssima. Portanto, sendo a Encarnação superior à Criação, mais uma razão para a Bem-Aventurada Virgem Maria participar na obra da Criação. Daí sua união inseparável com as Três Pessoas Divinas.

Devemos pregar a Verdade do verdadeiro Deus, Criador, Redentor e Santificador. A Verdade, gravada em nossos corações, nos impele a fazê-lo; devemos pregar a verdadeira filiação divina do único Deus Uno e Trino. Nossa pregação deve ser apologética, manifestando a Verdade que é Deus.

Aqueles que estão longe da Verdade não podem nos dizer? Você não nos falou sobre o verdadeiro Deus. Vocês nos mantiveram no escuro, por um falso respeito humano

Voltai-vos a Mim, diz-nos o verdadeiro Deus. Este mandato de Deus deve estar sempre em nós, filhos fiéis de nossa Mãe Igreja Católica, para cumpri-lo diante daqueles que vivem longe da Luz de Cristo.

Somos todos filhos de Deus, sim, do Deus Uno e Trino. Mas nem todos pertencem à Sua Família.

Ave Maria Mais Pura. (Fonte: El Español Digital)

A beata Ana Catarina Emmerich, nas suas visões da Última Ceia, no início da "Amarga Paixão de Cristo", fala-nos de uma conversa emotiva entre Jesus e João. Nele, o Senhor "também lhe disse algo a respeito de sete igrejas, coroas, anjos, e lhe deu a conhecer representações misteriosas que, como creio, significaram várias épocas".

Virgens tolas

21/06/2024

Na catedral de Magdeburg, na Alemanha, uma das primeiras catedrais góticas daquele país, há esculturas das cinco virgens sábias e das cinco virgens tolas fora da entrada norte do transepto. Essas esculturas datam de meados do século XIII e, com grande maestria para sua época, expressam as emoções e a linguagem corporal dos personagens que...