Por que os seminários estão vazios? dez razões

02/05/2023

Vamos responder a essa pergunta com razões claras, concretas e concisas. Vamos falar de forma aberta e realista:

Por Padre Ildefonso de Asís

1: Porque é cada vez menos atraente seguir uma vocação numa Igreja cada vez mais secularizada

2: Porque antes da exaltação dos leigos, um candidato ao sacerdócio vem perguntar para que serve um padre na Igreja

3: Porque o padre é tratado como um "potencialmente culpado" de abusos e, em caso de acusação, em vez de esperar que a sua culpa seja provada, é obrigado a provar a sua inocência, numa linha de absoluta inversão dos princípios gerais da lei (como a presunção de inocência)

4: Porque a perspectiva futura, quando ordenada, significa estar na mira de caluniadores sem a proteção de quem, da hierarquia, deveria protegê-lo de falsas acusações

5: Porque desde a mais alta hierarquia da Igreja, repetidamente, o padre que "ousa" ser tradicional é criticado de forma ácida

6: Porque diante do desejo de se formar no pensamento filosófico cristão (Santo Tomás e sua escola), os candidatos se encontram na posição de suportar, estudar... e aprovar (mordendo o coração) todo o lixo da filosofia personalista que substitui a DEUS através do ser humano como centro e quase causa do próprio DEUS

7: Porque se o candidato legitimamente deseja celebrar de acordo com a liturgia milenar tradicional, ele deve esperar a permissão de Roma para oficiar a missa tradicional com a agravante de ver como nenhuma restrição é colocada em celebrações pseudo-protestantes ou diretamente palhaçadas

8: Porque se, ao ser ordenado, o candidato deseja cumprir a sua missão tendo como prioridade a Glória de Deus e a salvação das almas, se encontrará com o rótulo impiedoso de ser um sacerdote "não muito próximo" do pessoas

9: Porque verificará que o ensino sobre o celibato deixa de ser considerado um DOM na prática para se lançar no estéril debate sobre sua necessidade

10: E porque se ele quiser ser sacerdote para se entregar a CRISTO, será corrigido, não expressamente, mas tacitamente, para realocá-lo mentalmente em uma dedicação à humanidade pela justiça social, pelo clima, pela ecologia e pelos valores humanos.

Resumindo: os seminários estão esvaziados porque parece que uma entrega com essas "condições" NÃO vale a pena. (Fonte Adelante La Fe)

Sua extraordinária vida comprova que a heroicidade na prática da virtude pode chegar a suprir a ciência humana. Isso explica o aparente paradoxo de sua biografia, mostrando como a alta sabedoria de um taumaturgo analfabeto o tornou conselheiro de Papas e Reis. Sua festa litúrgica é celebrada no dia 2 de abril.