O Papa rebaixa o Sínodo e o transforma em um parlamento

26/04/2023

Os cardeais Mario Grech e Jean-Claude Hollerich, secretário-geral e relator-geral do Sínodo, respectivamente, informaram que os leigos terão voz e voto na próxima Assembleia Sinodal.

Apesar de o Vaticano ter tentado "vender" que isso não se tornaria um parlamento, os fatos mais uma vez contradizem as palavras. Os cardeais responsáveis ​​pelo Sínodo relataram mudanças substanciais e de grande escala antes da XVI Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, em outubro de 2023.

Em primeiro lugar, foi acordado que os dez clérigos pertencentes a institutos de vida consagrada, eleitos pelas respectivas organizações representativas dos Superiores Gerais, não estão mais presentes. São substituídos por cinco religiosas e cinco religiosos pertencentes a institutos de vida consagrada, eleitos pelas respectivas organizações representativas dos Superiores Gerais e Superiores Gerais. Como membros, eles têm direito a voto.

Leigos entram por "cotas"

Foi um dos assuntos mais discutidos durante as últimas Assembleias nacionais e por continente, se os leigos teriam direito a voto no Sínodo dos Bispos. 

Grech e Hollerich anunciaram que serão acrescentados mais 70 membros não Bispos, que representam outros fiéis do Povo de Deus (sacerdotes, pessoas consagradas, diáconos, fiéis leigos) e que vêm das Igrejas locais. 

Serão escolhidos pelo Papa a partir de uma lista de 140 pessoas indicadas a dedo (e não escolhidas) pelos sete Encontros Internacionais das Conferências Episcopais e pela Assembleia dos Patriarcas das Igrejas Orientais Católicas (20 para cada uma destas realidades eclesiais). Nesta quarta-feira, 26 de abril, do Sínodo enviaram uma carta às Conferências Episcopais com o pedido de preparar as listas de nomes. Eles têm até o final de maio para fazer isso.

Além disso, a secretaria do Sínodo pede que 50% desses membros sejam mulheres e que também seja valorizada a presença dos jovens. Leva em conta não só seu conhecimento geral e prudência, mas também seus conhecimentos, tanto teóricos quanto práticos, e sua participação em várias funções no processo sinodal.

Comentando essas modificações, os cardeais esclareceram que "não é uma revolução, mas uma mudança importante" em um esforço para usar eufemismos que tentam diminuir as expectativas. Depois do colóquio, em declarações à mídia vaticana, o cardeal Hollerich, que é arcebispo de Luxemburgo, especificou sua relutância em usar o termo "revolução".

A decisão foi bem recebida por todo o movimento sinodal que pede a transformação da Igreja em parlamento e a votação das verdades da fé. Esta suposta "democratização" da Igreja é mais um revés para os bispos que veem diminuída a sua posição e o seu papel na hierarquia eclesial. (Obs. o que está em negrito foi destacado por nós)  (Fonte INFOVATICANA)

Comentários da Redação de "Vida e Fé Católica"

Estamos numa época em tudo semelhante aos dias que antecederam o dilúvio, quando Noé clamava ao povo para que entrassem na arca, única forma de salvação. Enquanto que no tempo de Noé a morte daqueles que não embarcassem seria física, em nosso tempo, a morte será espiritual. A nova arca é a Igreja Católica tradicional, que pode salvar o homem do grande dilúvio que vem aí com o Sínodo dos Bispos. 

Como nos tempos de Noé, quando ninguém acreditou nele, hoje, ninguém acredita naqueles poucos tradicionalistas que alertam sobre a iminente divisão da Igreja. 

Como se pode observar pelo artigo acima; tudo está preparado pela cúria romana para um grande estrago. Querem a todo custo criar uma igreja que agrade ao homem e não a Deus. Como pode simples freiras, leigos, entre estes, muitos jovens, estarem definindo o destino da Igreja? E mesmo estes, serão escolhidos a dedo. O que significa que essa turma será composta apenas por progressistas, pois o Vaticano tem declarado guerra aos tradicionalistas. O papa Francisco recentemente chamou os tradicionalistas, "aqueles que se mantém fiéis a Santa Igreja Católica, criada por Jesus", de infiltrados. Como se eles fossem os donos absolutos da Igreja. 

Há muitas críticas contra os tradicionalistas, parece que as pessoas querem mesmo se afogar no dilúvio de pecados de toda ordem que emanará da nova igreja progressista, Muitos tem alegado que Jesus prometeu que Sua Igreja não sucumbiria às garras do demônio, é bem verdade. Mas há que saber distinguir qual é a verdadeira Igreja de Jesus, que certamente não será a progressista onde tudo é permitido. Se fosse assim, Deus não teria criado seus mandamentos. 

Aqui, mais uma vez fica o convite para aqueles que querem salvar suas almas; Entrem na nova arca de Noé, que é a Igreja tradicional criada por Nosso Senhor Jesus Cristo, espalhada pelo mundo pelos apóstolos, confirmada pelos pais da Igreja, pelos verdadeiros papas e concílios do passado. 

Sodomia significa a prática de relações sexuais de qualquer tipo entre pessoas do mesmo sexo, sejam homens ou mulheres.