Jornada Mundial da Juventude 2023 promove visita a mesquitas, sinagogas e templos hindus; tudo menos igrejas católicas

20/07/2023
(Foto reprodução internet)
(Foto reprodução internet)

Os jovens que forem à JMJ 2023 em Lisboa, terão de tudo, menos catolicismo. Em consequência voltarão menos católicos e mais propensos a aceitar que tudo é válido e que pecado só existe mesmo no catolicismo; o resto é tudo 'paz e amor'.

Esta é, infelizmente, a ideia do Vaticano que está sendo posto em prática em Lisboa. Enganar os jovens, para que pensem que todas as religiões são boas. As palavras de Jesus sobre a evangelização e batismo de todas as criaturas são jogadas no lixo.

Judaísmo que não acredita que Jesus é o messias, é válido, Islamismo que vê Jesus como um simples profeta e que aceita casamentos com mais de uma esposa é válido, budismo que acredita em reencarnação é válido, mas catolicismo, não deve nem ser mencionado para não ofender toda essa turma.

O padre Peter Stiwell, organizador de toda essa bagunça disse ainda a um programa da TV RTP2, que a Universidade de Lisboa vai plantar "seis árvores no jardim Botânico Tropical, para recordar as seis grandes famílias religiosas, o taoísmo, o hinduísmo, o budismo, o judaísmo, o cristianismo e o islã".

Com relação à unidade dos cristãos o referido padre disse: "é mais variado". "Temos duas grandes comunidades que trabalham nesta área, Taizé e Chemin Neuf (Caminho Novo), ambas vindas da França. Uma de base protestante, mas que acolhe nos seus membros católicos, que é o caso de Taizé. Outra de base católica, mas que acolhe nos seus membros ortodoxos e protestantes, que é Chemin Neuf".

A questão ecológica também vai se misturar com religião:

A Sociedade Bíblica Portuguesa (SBP) via promover a exposição 'Ekologia', de 1 a 6 de agosto. Segundo Simão Fonseca, do setor de animação da SBP; "procurando também dar-se a conhecer aquilo que tem sido uma das várias preocupações do papa Francisco com a questão de uma consciência ecológica e uma consciência bíblica também", a SBP pensou em trabalhar a questão da ecologia, visto que "as alterações climáticas estão na ordem do dia".

Parece que a salada está completa. Jesus, Maria, Espírito Santo, pecado, batismo, reconciliação, oração, devoção e tudo que lembre o catolicismo será praticamente proibido. Oração como Pai Nosso e Ave Maria nem pensar. Esta é a igreja que Francisco deseja para o mundo e vai tentar implantá-la a todo custo através do sínodo. Católicos tradicionais que seguem a verdadeira doutrina deixada por Nosso Senhor Jesus Cristo, através de suas palavras, de seus apóstolos, das dezenas de papas verdadeiros e dos santos, que deram suas vidas por esses ensinamentos, tem que se esconder para não serem perseguidos, humilhados e até excomungados por esses falsos profetas, lobos em pele de cordeiro que se apoderaram do Vaticano, como donos absolutos da igreja. Esquecem que a Igreja Verdadeira é o corpo místico de Cristo. Por mais que alguém se apodere da igreja física e visível, jamais poderá atingir a verdadeira Igreja que é invisível. São todos aqueles que acreditam e seguem verdadeiramente as palavras de Nosso Senhor.

Os pais que enviarem seus filhos para a JMJ 2023, estarão enviando-os para convívio com lobos em pele de cordeiros. Dessa jornada não voltará um católico mais assíduo, mais espiritual, mas quem sabe um budista, um hindu, um muçulmano ou até um completo ateu. (Redação Vida e Fé Católica) (Base de informações ACI Digital)

Um bispo anglicano, referindo-se ao protestantismo, disse que ele consiste em acreditar em tudo o que você quer e fazer tudo o que você acredita. O protestantismo aceita essa afirmação sem surpresa, porque é a realidade de sua doutrina. Ele não sabe indicar o que é necessário para ser cristão, aliás, sustenta que é inútil saber. Não tem símbolo...